05 setembro 2008

Astrônomos descobrem grupo de galáxias gigante

O observatório astronômico europeu XMM-Newton encontrou o maior grupo de galáxias jamais visto no universo, uma descoberta que pode confirmar a existência da energia negra, anunciou nesta segunda-feira em um comunicado a ESA (agência espacial européia).
Batizado 2XMM J083026+524133, o grupo deve conter "uma massa correspondente a mil galáxias" e foi observado quando o XMM-Newton, que tem como missão estabelecer um catálogo de fontes cósmicas emissoras de raios X (planetas, cometas, quasares etc), estava focalizado outro objeto.

O J083026+524133 foi visto porque forma uma mancha muito brilhante. Observado em seguida com um potente telescópio de Arizona, se revelou um grupo de galáxias com mil vezes a massa de nossa galáxia, a Via Láctea.
"A presença deste grupo confirma a existência de um elemento misterioso, a energia negra, suposta responsável pela aceleração da expansão do Universo", destacou em um comunicado Georg Lamer, do Instituto de astrofísica de Potsdam (Alemanha)

Segundo os astrofísicos, a maior parte do grupo situado a 7,7 bilhões de anos-luz seria formada de um gás a temperatura de 100 milhões de graus Celsius.

____________
Nota: Interessante algumas coisas; diz-se que isso confirma a existência da energia negra. Mas o que ela realmente é? Por que isso confirma? Baseado no quê? Qual é o paradigma? Bem, não é o foco da notícia. Mas aí estão algumas informações que gostaria de obter e entender. E isso também nos leva quanto aquela questão: "Qual porcentagem que conhecemos do Universo?" E diria eu ser arrogância, orgulho e presunção demais dizer: "0,1%". E mesmo diante de cubo tão pequeno de informações, alguns buscam fazer afirmações sobre coisas que se visa o 100%; como a própria identidade do Universo, de onde veio, para onde vai, a causa disso e daquilo.
De repente, encontram o "maior grupo de galaxias" de todos os tempos! Que coisa estranha, não? Seria como fazer a teoria das placas tectonicas, e delimitá-las. Mas depois de umas 4 décadas, o pessoal descobre a existência da Ásia! E que tamanha porção! Quanta coisa! De modo que toda ela influência na geologia, eventos climáticos, a forma da Terra, e como toda teoria fora elaborada.
Mas é mais comodo e fácil aceitar o paradigma atual da ciência. É BigBang, e vamos trabalhar, estudar, analisar e explicar em função disso. "Ainda não estamos preparados para um outra revolução cientifica que destrua esse paradigma da casualidade; e de uma ciência que não precisa de Deus."
Fora que também são interessantes esses números astronomicos: "100 milhões de graus Celsius". Eu não consigo imaginar, nem entender esse número; quantidade de calor. Alias, qual a confiabilidade do modo que obtêm esses valores?
Outra coisa interessante é a distância: 7,7 bilhões de anos-luz. Ou seja, todas essas informações que vemos e coletamos são de um passado muito distante. Se formos pensar nas implicações disso. Ual! É de ficar perplexo e sem sono. Como é agora, nesse exato periodo de tempo? E mais, como é que fica todas essas observações, coleta de dados etc, visto que fora provado que a velocidade da luz não é constante?

3 comentários:

Lagrange disse...

Onde foi provado que a velocidade da luz não constante?

Evandro Costa de Oliveira disse...

não saberia dizer onde. Mas segundo os professores que tive aula no IF-USP, disseram que já foi provado. Parece que alguns eventos no espaço alteram a velocidade da luz. E também dizem, que esse foi o principal erro conhecido de Einstein, pois ele admitiou como 100% fixo, que a velocidade da luz era constante.

daise disse...

http://teoriadacosmofsica-graceliana.blogspot.com/