21 novembro 2012

Mononucleose

5 comentários
Mononucleose, mais popularmente conhecido por "doença do beijo". Uma virose provocada pelo Epstein-Barr. Uma doença para o qual não foi produzido um remédio para tratá-la, nem mesmo está entre o leque de doenças para quais somos vacinados. Isto porque o é um vírus 'benigno', ou seja, que mesmo após infectar não causa danos na pessoa, não é letal. Ele vem e passa. Além disso, a maioria das crianças são infectadas pelo virus e rapidamente o sistema imunológico delas lidam com o vírus, sendo que muitos, assintomaticamente, enquanto outras apenas um leve quadro de virose que em poucos dias passa, e, assim, criam imunidade para o resto da vida.

Ah! Os adultos. Estes sim são um problema quando são infectados pelo vírus. Pois muitos deles, devido a baixa imunidade, ou, sobretudo, ao stress físico, o vírus ao infectar causa um bom estrago. E neste caso, eu fui um dos contaminados.

Inicio dos sintomas: 24/11

1º Dia: Senti uma absurda moleza no corpo. Mas não me impediu de ir na academia fazer um pouco de exercícios.

2º Dia: A moleza veio junto com uma fraqueza e muita dor muscular no corpo, como quando pegamos uma forte gripe com febre, mas não tive febre. Com dor no globo ocular esquerdo. Surgem algumas poucas e leves manhas vermelhas na região abdominal (rash cutâneo), junto com um inchaço das glandulas no pescoço, sobretudo uma ingua grande e dolorida do lado esquerdo.

3º Dia: A dor muscular melhorou levemente, mas tive febre durante a noite chegando a 37.6ºC.

4º Dia: Um sábado. Tive febre de 38.2ºC pela noite. Vou ao médico. Faço exame de sangue e urina, com forte suspeita de Dengue, fazem a sorologia para dengue. Os exames nada apontam, tudo normal, e a sorologia para dengue, negativa. A médica manda repousar, me receita apenas um remédio para dor muscular e tylenol para febre, e aguardar.

5º Dia: A dor diminui, a dor no globo ocular some. Por outro lado a febre aumenta, ficando o dia inteiro com febre de 38.6ºC, mesmo tomando paracetanol, não caia para menos de 38. E também passei a ter muita sensibilidade a luz (fotofobia).

6º Dia: Volto ao médico. Aparece fibrina, um pouco de pus nas amígdalas, mesmo não sentindo dor ou qualquer incomodo na garganta. A médica imediatamente suspeita de Mononucleose, me dá atestado para ficar de repouso até quarta-feira, para continuar com a medicação, e ao mesmo tempo, tomar um antibiótico de amoxicilina e um anti-inflamatório a base de neomicina. Neste dia começo a perceber que meu baço e figado estavam um pouco inchados, e até mesmo incomodando para fazer movimentos que exprimissem eles, assim como dormir de barriga para baixo.

Nos demais dias, continuei da mesma maneira, em repouso, até me senti levemente melhor.

8º Dia: A pedido da médica voltei ao consultório. Ela me examinou e descartou a suspeita de Mononucleose, pois a Amoxicilina era para ter dado uma reação de ter criado manchas vermelhas (rash cutaneo) generalizada por todo o corpo. E ao mesmo tempo, minha garganta ficou ainda mais inflamada e com mais pus, mesmo eu não sentindo incomodo algum nela. E diagnosticou uma amigdalite. E para pegar mais 2 dias de repouso.

10º Dia: Uma sexta-feira, me sentindo melhor, vou para o trabalho, em São Paulo. Todavia, após o almoço, comecei a me sentir muito fraco e cansado, querendo ir logo para casa. E na volta, sou surpreendido por um forte Rush, qual fico muito tempo em pé em filas, no metro, trem, muito apertado, abafado, e também em Santo André, espero por 20 minutos um onibus, qual ainda tive a sorte de conseguir sentar, mas que demorou, devido ao transito, 40min. para chegar em casa. E este stress da volta me causou um cansaço, fraqueza, moleza absurdo. Me senti lá embaixo novamente. Cheguei em casa e fiquei deitado.

11º Dia: Ainda com febre a noite, tendo em torno de 38.6ºC, decido voltar ao médico. Ao regressar, novamente mais exames. E após os exames, 2 médicas me examinam minuciosamente, dando mais atenção ao meu baço e figado. Pois meu exame acusou muitas anomalias, como os "itens" (digamos assim) do Figado, estavam todos absurdamente muito elevado, muito acima do normal, e também, com um número em torno de o dobro acima do máximo normal de linfócitos, na contagem. Eles então suspeitam que estava com alguma hepatite e me internam, fazendo sorologia para mononucleose e outras doenças.

Na internação passo a tomar antibiótico (Rocefin) devido a suspeita de poder ser uma bacteriose. E inicialmente, sou internado com uma Amigadalite Aguda com adenomegalia com aumento da transaminase. Quanto ao figado, a maior preocupação, era por ter uma hepatite trans-infeciosa, causada pela própria infecção, mas que conforme a infecção regredisse a infecção no figado também. Mas que tinham que observar isso com mais cuidado, por isso a internação.

13º Dia: A partir do segundo dia de internação, comecei a sofrer muito com secreção como que uma corisa interna, e ao mesmo tempo, muito catarro. Era muita secreção, não parava por um minuto sequer. Tinha que ficar andando com uma toalha onde ficava babando e escarrando, sobretudo para dormir, deixar a boca aberta deixando fluir, e mesmo assim, acordava várias vezes engasgando. Também comecei a ter muita nausea e crises de vômitos, principalmente a noite. E com isso, comecei a tomar remédios para o estomago e para nausea.

No decorrer dos dias, meu estado foi se agravando, sobretudo a garganta, que entre o 13º - 16º dia tive o PICO da doença. Tive infecções secundárias: Faringite e Traqueobronquite. Saia até sangue com o catarro. Minha garganta ficou tão inflamada que as amigdalas quase fechavam totalmente a garganta, de modo que tinha dificuldade até para respirar, para dormir eu roncava. A dor na garganta era absurdamente forte, não suportava nem beber água, de modo que fiquei esses dias sem comer, apenas gelatina, era algo que ainda conseguia tomar. E então o hospital começou a me servir 2 unidades de suplemento 120ml todos os dias, quais, com muito sacrificio eu tomava. Pois para cada gole, era como cortar minha garganta com uma faca com os dentes todos tortos. Era um absurdo a dor de garganta, que se tornou meu maior incomodo. Apenas um antiinflamatório que tomava de 12 em 12hrs dava uma leve aliviada. Me deram vários remédios para tentar aliviar a dor, inclusive corticóide e um remédio controlado que chamava algo do tipo "ultra-mal"; mas tudo em vão. Foi bem tenso. Todavia, meus exames de sangue apontavam que eu havia chegado no pico da doença, e logo começaria a melhorar. A traqueobronquite foi responsável pela secreção, fiquei com muito catarro no pulmão. E tive que fazer fisioterapia quais eles forçavam minha respiração de modo a fazer a ter uns ataques fulminantes de tosse que me faziam expelir muito catarro, aqueles bem verdes. E também nesta fase, o Rash Cutaneo (manchas vermelhas) espalharam pelo meu corpo inteiro, rosto, pescoço, costas, braços, barriga, pernas, foi generalizado, só não muito nas mãos, canelas e pés, ficaram com uma cor forte as vezes até um roxo. as membranas em torno do olho incharam, ficando com aparência de olho de japonês  Até mesmo para falar tinha dificuldade, e muita dor. Falava muito rouco, baixo, e em geral, permanecia quieto apenas falando o essencial, gesticulando mais do que tentando falar.

Apenas 4 dias depois a sorologia ficou pronta a qual apontou Mononucleose positivo. No 16º dia o Rocefin foi suspenso devido a suspeito de estar provocando uma reação alérgica que inchasse as amigdalas e agravasse tanto as manchas pelo corpo. Mas no dia seguinte, devido há uma suspeita de infecção por bacteriose secundária, de pegar uma infecção hospitalar nos pulmões, passaram a me dar um antibiótico controlado mais forte, o Tazocin.

17º Dia: Finalmente comecei a ter melhoras, apesar de ainda tendo crises de febre, a dor na garganta e inchaço começou a regredir, juntamente com as manchas. E a partir desse dia, foi uma melhora progressiva, em todos os sentidos, parei de ter crises de vomitos.

18º Dia: Consegui voltar a comer e engolir normalmente. E meu quadro clinico teve uma melhora exponencial.

20º Dia: A médica já queria me dar alta hospitalar, mas não podia devido a ter que ainda tomar mais alguns dias de Tazocin.

22º Dia: Finalmente tive alta hospitalar.

Foram 11, quase 12 dias de internação. Perdi quase 5 kg nos dias que quase não comi. Agora ainda devo permanecer por mais alguns dias de repouso, e para ser sincero, ainda sinto moleza, fraqueza. Ainda devo permanecer em abstinencia de atividade fisica até toda essa moleza e fraqueza passarem, o que, segundo a médica, deve levar entre 1 e 2 semanas, para não ter uma recaída imunitária e dar oportunidades para novas infecções, ou para que a que está passando aumente. Ainda tenho um pouco fibrina e infecção na garganta, é possível se ver o pus. Algumas manchas no corpo, mas estão passando. E devo fazer um check-up após sentir que tudo finalmente passou.

Atualização: Voltei a fazer exercicios em torno de 2 semanas após, mas a moleza totalmente só foi passar e eu voltar a me sentir normalmente em torno de 20 dias após alta do hospital. O rash, principalmente nos braços demorou bem mais para sumir, mesmo 2 meses depois há ainda um leve tom de sua presença, mas praticamente imperceptivel.

Minha Dica: Ao contrair os sintomas, a primeira coisa a se fazer é procurar fortalecer seu sistema imunológico com boa alimentação e muito repouso, até mesmo tomar vitamica C e complexo B. Procure seu médico, e se peça um exame sorologico. Todavia, como há muitas doenças com os mesmos sintomas, as vezes é necessário fazer sorologia para todos, o que é um custo maior para o Hospital/Convenio, por isso, pegue no pé e exija.


Rash Cutâneo Pernas (16º Dia)

Fibrina (pus) na amigdala da esquerda (9º Dia - antes da internação e do auge)
No auge, minha garganta eram apenas duas bolas gigantes e uma placa branca que cobria toda sua estenção, com um espaço muito pequeno, que mal passava um comprimido.

07 novembro 2012

Babilônia - Documentário

0 comentários
Sem querer, me deparei com este excelente documentário que trata da História, Arqueologia e Teologia sobre a Babilônia. É bem didático, com muitas imagens, filmagens, inclusive do lugar, de peças arqueológicas, como os tijolos de Babilônia que estão expostos em Berlim. Etc. E ao mesmo tempo, faz ainda de uma maneira muito séria, comparações entre a narração bíblica com a História. Mostrando uma equivalencia precisa. Recomendo.



06 novembro 2012

O Hobbit - O Filme - Grande Expectativa

0 comentários
Em uma ordem mais lógica, "O Hobbit" deveria ter sido visto antes de "O Senhor dos Anéis", pois trata melhor de algumas questões anteriores. Mesmo os 3 longa metragens, foram poucos para falar sobre tantas coisas, idéias, detalhes que encontramos no livro. E, do mesmo modo, acredito que todos os filmes do Hobbit não serão suficiente para tratar completamente todos os detalhes do livro. Pois, a princípio, para se compreender muitas coisas, seriam necessário, ainda anteriormente, "O Simarilion", qual eu não dúvido que seja produzido, todavia, é um livro que exigiria muitos filmes, já que o livro foi escrito, meio que estilo o Canon Biblico, ou seja, Tolkien fez uma extraordinária obra de arte em fazer um livro, como se fosse um recorte de vários outros, muitos, descritos com uma linguagem diferente, em tempos diferentes, com uma visão diferente. Mas por fim, ia construindo a visão do todo.

Adiantando algumas coisas
Em 'O Simarilion', Tolkien fala sobre a origem desse mundo, sobre a origem inclusive de Sauron, que a principio não era mau, mas se tornou o discipulo, servo e escravo de Melkor. E também sobre a origem das árvores, dos eants, dos elfos, dos humanos e dos anões. Os anões que têm grande destaque na obra do Hobbit, junto com os próprios Hobbits, no caso, Bilbo Bolseiro, fora meio que um "erro" sua existência. Segundo a obra. O Ser Supremo (Eru), havia composto uma canção, quais os "valar", ficaram então encarregados de criar o planeta, a vida, e todas essas coisas, inclusive os elfos e humanos. Todavia, não os anões. Primeiro surgiram os elfos. Mas alguns ou um valar (não me recordo quem), não aguentou esperar surgir os humanos, estava muito ansioso; não haviam ainda compreendido muito bem o "tema da música" de Eru, a respeito dos humanos, mas tentou criá-los. Mas ficaram 'deformados', e como uma punição, iriam ficar pequenos, como lembrança de que foram feitos antes da hora, antes do tempo da vontade de Eru; e que ao mesmo tempo, habitariam as profundezas, as cavernas, as montanhas, seriam fanáticos por metais, pela busca de tezouros, metais preciosos, de cavar mais e mais fundo; e que ao mesmo tempo, seriam uma raça que não se entenderia muito bem nem com humanos, nem elfos.

O Hobbit
No livro, há uma longa minicuosa descrição do que seria um Hobbit. Não tanto pelo seu aspecto fisico peculiar, como ser pequeno como um anão, terem pés grandes, serem resistentes, mas ao mesmo tempo fracos. Mas um Hobbit acima de tudo é alguem que zela pela tranquilidade, pela falta de ambição, pelo socego, por NÃO TER UMA VIDA DE AVENTURAS, isto para eles, era o fim do mundo! Eles queriam ficar aqui, no Condado, onde praticamente nasceram, fazendo a mesma atividade agricula de subsistencia simples, pelo resto de suas vidas, com suas festas etc, por gerações. Até que então, surgiu essa demanda, que muda a vida de Bilbo do avesso.

O Livro
O livro em si é bem menos pesado, sobretudo filosoficamente, figurino, do que "O Senhor dos Anéis", pois Tolkien escreveu este livro, especialmente para seu sobrinho, se não me engano. Ou seja, é um livro feito para crianças, meio que mais a nível de "As Crônicas de Nárnia". Mas ao mesmo tempo, fazendo a ponte entre Silmarilion e Senhor dos Anéis. Todavia, acredito que o filme não será menos, acredito que será tão a nível ou mais que o épico Senhor dos Anéis.

Além disso, na história do Hobbit, temos uma grande critica, e provocação de Tolkien em despertar  o tipico inglês da época, ou mais genericamente, aquelas pessoas que tem uma vida 'acomodada', cheia de medo, que ficam arranjando desculpas para não se aventurar, não atravessar as fronteiras, de não enfrentar os perigos da morte. É uma critica contra aqueles que apenas querem ficar deitados e acomodados no conforto de suas casas em bairros ou cidades bonitinhas, onde possuem tudo o que precisam e querem para a sua vida... há sair da zona de conforto, e experimentar novas experiências e aventuras, de modo, que nunca mais será o mesmo.

E por fim, uma das mais grandes ironias, qual vemos repetir em O Senhor dos Anéis, um hobbit e anões, as menores criaturas, e talvez as mais desprezadas, são quem conseguem a espetacular glória de enfrentar o dragão. Nisto, voltando para o contexto de Tolkien, também temos o período das Grandes Guerras Mundiais, e uma tentativa de influenciar lá no fundo do caráter de cada criança, jovem, que não importa o quão pequeno, fraco, ou desprezado sejam, eles devem lutar bravamente, e podem conquistar as maiores proezas e honras.

O Filme
O livro é extremamente gostoso de ler. E envolve muita imaginação. Sim, mesmo quem já viu "O Senhro dos Anéis", pode ficar tranquilo, pois não verá farinha do mesmo saco. Se surpreenderá com muitas coisas. E ponho grande expectativa, pois imagino ser extremamente dificil conseguir montar algumas cenas que o livro descreve, seja a parte do dragão, a batalha na cidade flutuante, a batalha com as aranhas... Acredito que não irão me decepcionar, e estou com expectativa, como desde "O Retorno do Rei", não tenho, em ver um lançamento. O filme provavelmente irá levar todos os Oscars e quebrar um pouco está sequencia de péssimos filmes e roteiros que tivemos nos últimos anos.

Para a nova geração, um filme/história que irá te surpreenderá como nunca imaginou.



Trailer 1


Trailer 2

04 novembro 2012

O Tamanho do Universo

0 comentários
Já tentou pensar em dar um zoom minimo e um zoom máximo no Universo? Ou seja, poder ver todo o universo, e depois dando um zoom, até mesmo a chegar a o planeta Terra, ao Homem, uma poeria de argila, um elétron e ainda ir muito mais a fundo?

Este grande achado na Internet nos revela tudo isso de maneira SUPER didática, de modo que você pode clicar nos objetos e ter uma descrição sobre eles. É uma daquelas coisas simples e bem feita, para nos deixar impressionado... e nos levar a pensar em coisas do tipo "como o Universo é grandioso, extraordinário... muito além do que a mente humana pode imaginar". E o mais incrível de tudo, tudo isso, é apenas parte do Universo Visível.


The Scale of the Universe 2 (vários idiomas)

01 novembro 2012

A Luta Contra a Gordura Localizada

0 comentários
Sempre fui uma pessoa super atleta na vida e caracterizada por um perfil magro, pois sempre e sempre estava envolvido com muitos esportes ou atividade física. Tenho 1,80m e nunca havia passado dos 71,4 kg; nunca cheguei a ter 'pneu', ou 'banha', ou algo do tipo na região da barriga. De certo modo, até 3 meses atrás eu tinha uma barriga, no linguajar popular, 'bem tanquinho', pois praticava atividades fisicas intensas por pelo menos 1h30, 3x por semana no minimo, até Maio deste ano. Todavia, em Junho, minha jornada de trabalho aumentou de 6h para 8h, e junto com os horários da faculdade; entre outros, houve uma mudança brusca, de modo, que passei a 'conseguir' me exercitar de 1 a 2 vezes por semana, não chegando 1h de atividade em média, cada; ao mesmo tempo, ficando mais horas sentado no trabalho, de frente para o computador.

Eu comia razoavelmente, desta maneira:



Café da manhã:
- 1 copo de leite de soja com castanhas e açúcar mascavo;
- 1 pedaço ou fatia de pão integral com pasta de amendoim e mel;
- 1 salada de fruta, de 3 a 4 frutas (as vezes com granola ou sucrilhos)

Intervalo:
de 1 - 1,5L de água.

Almoço:
- Prato vegetariano, entre 400-500 gramas, numa proporção de 50%-70% legumes e verduras, e o restante em arroz, feijão, soja, pvt, tofu, peixe de vez em quando etc.
- Raramente, uma sobremesa em torno de 80 - 100 gramas;

Intervalo:
1 - 1,5L de água

Final da tarde:
comia alguns cookiens integrais mas industrializados, barrinha de cereais, as vezes uma bolacha, iogurte;

Intervalo:
uns 2 ou 3 copos de água

Noite:
Com frequência, um chá com biscoitos ou umas 2 ou 3 fatias de pão com algo.

Bem, esta era meio que minha rotina de alimentação - qual funcionava. E desde meus 17 anos (atualmente, 26), fiquei com o peso estável entre 67 - 71 kg, na maior parte das vezes com 69 kg. Menos no inicio do ano passado, qual passei por uma cirurgia, e acabei perdendo 7kg em 1 semana, chegando aos 63kg, dai recuperei 68kg em 3 meses, fazendo atividade fisica e comendo normalmente.

Um dos problemas, foi que diminui absurdamente muito minha atividade fisica, mas mantive a minha dieta, de certo modo, até comecei a ingerir um pouco mais de alimentos gordurosos no final da tarde; pois a falta de exercício faz aumentar a vontade de comer, sobretudo tranqueira. E aí, quando fui ver, em 2 meses, eu percebi que minha barriga, de 'tanquinho' começou a ficar flácida, e com acumulo de gordura localizada

Comecei a focar nos poucos treinos na academia em abdominial e esteira, mas mesmo assim, aos poucos, o nível foi aumentando. Até que cheguei próximo aos 75 kg, pela primeira vez na minha vida; com um pequeno pneuzinho, que até dá para apertar um pouco com a mão; apesar de que para 99% das pessoas não é gordura, banha e ainda sou 'magro'. Mas na minha definição é, não por causa da aparencia, mas por ser tecido adiposo ao invés de muscular; tenho que estar em boa forma, e isso para mim é um dos principais indícios de boa forma fisica (o estado do seu abdômen  pois desde quando fazia karate aos 14 anos, aprendi, que tal era o CENTRO do seu corpo). Minhas calças que até então usava cinta apertada, ficaram justas para apertar, algumas bermudas antigas, tive até que fazer uma forcinha para abotoar. E até mesmo para dar uma corridinha, ou uns passos com tranco, como descendo escada, sinto um certo balanço onde nunca senti nada, era sempre travada, chapada; agora, sinto minha barriga tremer. Parece um terremoto.

Isso pesou muito para mim, pois tenho uma filosofia de vida muito severa com relação a saúde. Não sou fisioculturista (e até sou contra a isso), ou do tipo que quer para mostrar a barriga para os outros - vaidade. Raro são os que a já viram; mas é uma questão pessoal de manter a saude. Querer chegar aos 80, 100 anos e ainda estar correndo 5, 10 km... pedalando etc. E eu já sabia, que aquilo era um passo para uma bola de neve, e que aos poucos iria se acumular; e que na minha familia, pelos meus pais e familiares vejo que tenho tendencia genética; sempre me cuidei, e a ultima coisa que queria era ter que me preocupar com algo que nunca me preocupei (com a balança), ou com queimar gordura.


A Reação Contra A Gordura
Há 1,5 mês alterei minha dieta, reduzi tudo, menos o café da manhã.

Café da manhã:
Igual.

Intervalo
Agua, diminui para 500 - 1L

Almoço:
passou para algo entre 300 - 400 gramas (proibido massa, coisas oleosas, e menos arroz). E 2 dias da semana, substituo a refeição por uma vitamina de frutas, normalmente uma vitamina de abacate com aveia e mel (pois abacate é um dos alimentos nutricionalmente mais completos, e que satisfaz, tirando o apetite - o que tem funcionado, não fico com fome durante a tarde toda, ingerindo um copo de 400ml - apesar que preferisse que fosse leite do tipo A ou B ao invés de C, mas os lugares que vi não tem essa opção.).

Intervalo
Agua: Diminui para 500 - 1L

No final da tarde:
cortei praticamente a maioria dos alimentos industrializados. Tenho substituido por um suco de frutas. Ou por pão integral ou de coco. Ou um iogurte com cookie de aveia (industrializado, e com em torno de 6g de gordura saturada). Mais recentemente, troquei por frutas e castanhas desidratadas (como uva passa, damasco, castanha de caju, nozes...).

Intervalo
Agua: 2 a 3 copos.

A noite:
Raramente como algo. as vezes, não tenho feito refeição após o almoço.


Apenas com essa reação, o meu peso se estabilizou, entre 74,0 e 74,5 kg. Está nesta faixa de peso no último mês. Ou seja, de certo modo, alcancei um nível de ingestão mais proporcional a minha necessidade. Mas por outro lado, peso não diminui, e a 'massa indesejada' também não. Além disso, tenho percebido, no geral do meu corpo, um aumento não das medidas, mas da flacidez, ou seja, o que era mais 'firme, duro', passou a ficar mais 'mole', sobretudo as coxas e braços. Uma constatação de que a estabilização do peso pode ser pura ilusão, pois posso estar perdendo massa muscular e ganhando tecido adiposo, sem que altere o peso final.

Ou seja, estava faltando ainda algo: A Atividade Física. Ficou evidente que não adiantava equilibrar a alimentação para o nível de consumo energético, mas ao mesmo tempo não fazer atividade física suficiente para queimar essa miniatura de banha. Comecei então a aproveitar tudo para exercitar mais. Para caminhar, levanto levemente um pouco mais a joelho, e travando mais o abdomen e a postura, forçando mais. Sempre usar as escadas nas estações de metro. No prédio do trabalho, na maioria das vezes usar as escadas (7 andares) ao invés de elevador. E tentar aumentar um pouco mais a quantidade de tempo de atividade física durante a semana. Mas por enquanto sem nenhum resultado, e isso já faz 2 a 3 semanas. Sei que estou realmente precisando são de atividades aeróbicas mais intensas, sobretudo que durem mais de 2 horas de atividade continua e intensa; quem sabe um trekking não resolva isso.

Mas é isso, estou sentindo na pele, pelo menos um pouco, o que é ter que lutar contra a gordura localizada. E confirmo a frase: "Ganhar gordura é fácil. Difícil é eliminá-la."

Mas vamos lá. Vamos a luta, para voltar e manter a boa forma. Tentar aprimorar; até que o resultado realmente dê certo. Espero que você que esteja passando por isso, continue na luta, não desiste. Para você que está muuuito acima do peso, e com muitos 'centímetros' a mais, te desafio a lutar contra isso, pois sei de casos incríveis de pessoas que com mais de 100kg, que ficaram em excelente forma física, apenas cuidando da alimentação e fazendo atividade fisica. E a você, que está com uma excelente forma, e dentro do seu peso, cuide-se para se manter nele; pois algumas coisas só percebemos o quão valiosas são, depois que perdemos, e aí, também vemos o quão é difícil recuperar.


Máxima
Esse conjunto do seu abdomem, lombar, é o centro do seu organismo, tanto de equilibrio, quanto na qualidade de todos os demais movimentos; inclusive para a sua coluna, para a sua pressão arterial entre tantos outros. E um dos melhores indicios para a saúde de uma pessoa é a 'sua barriga'. Não só o tamanho, pois há pessoas magras, mas que mal tem um abdomem tem banha, mas não o suficiente para formar uma 'barriga'. Mas se uma pessoa está com uma abdomem firme, forte, viril, resistente, 'chapado', então provavelmente, ele está com uma ótima saúde, pois é praticamente impossível se conseguir isso sem uma ótima combinação de hábitos alimentares e exercícios aeróbicos.