07 novembro 2006

A mesma história, só muda os nomes

Na Grécia Antiga alguns homens, filósofos, matemáticos como Arquimedes e Platão, muito tentaram em compreender o Universo, as órbitas, os planetas, estrelas, como que era “a forma”; não apenas do extraterrestre (fora da Terra) mas da própria Terra. Não tinham a idéia de que a Terra era redonda, pouco conheciam sobre a extensão do próprio Mediterrâneo. Não conheciam os limites da Terra, nunca foram até tal. Porém, com suas obeservações formularam hipóteses, certos modos onde tudo parecia se encaixar perfeitamente, até mesmo as órbitas dos planetas. Então surgiu a idéia do geocentrismo.

Ninguém tinha ido até o mais longicuo no horizonte, nem mesmo subido ao mais alto dos céus para ver o que se enxergava além da visão miuda e limitada. Porém mesmo assim, expecularam. Formaram uma teoria pagã, dizendo que a Terra era o centro do Universo.

Um absurdo talvez você possa pensar. Ok, então siga mais um pouco o raciocinio.

Esta teoria foi absorvida por Roma Pagã e também tornou-se um dogma da Igreja Católica. Apenas, após muitos muitissimos séculos – se meus cálculos não me enganam, mais de 1200 anos – é que essa teoria passou a ser fortemente questionada por outros homens que estudavam a natureza, observavam o Universo, enfim, estudavam as obras reveladas de Deus; homens como Corpanéli, Galileu...

Muitos outros séculos se passaram, e somente então é que realmente, um xeque mate foi posto, com Kleper e Newton (aliás, dois verdadeiros cristãos, vale a pena conferir suas obras). Mas se sobrou alguma poeira de dúvida ainda, as últimas décadas colocaram um fim na questão, quando máquinas feitas por pessoas que trabalharam um pocado foram lançadas fora da Terra, e tais tiraram fotos do planeta e de muitas outras coisas. Hoje, basta ver como a Terra é no Google Earth.

Bem, mas a história parece repetir, e os mesmos erros (expeculações). Trocam-se os personagens, agora é Darwin, Einstein, entre outros. Não se nega que tais foram grandes homens no sentido da filosofia, da matemática da observação etc, assim como foram Arquimes e Platão. Do geocentrismo mudou-se para o evolucionismo (e algumas outras idéias mescladas).

É incrivel como é praticamente idêntico se for comparar. Antes expecularam as dimensões da Terra, imaginando que fosse plana, porém, nunca foram até os limites da Terra entre outras coisas; tudo era apenas aquilo que suas vizões limitadas podiam ver. E expecularam ao afirmar isso. Idiotas talvez você diga, porém para pessoas que não olham para algo maior, como Deus, apenas se limitam aquilo que eles idealizam (o conhecimento do homem), então não é de se esperar muita coisa mesmo.

Bem, séculos, melhor, milênios se passaram e ocorre a mesma coisa. Afirmam, como se tivessem a absoluta certeza, como se foram até os limites do Universo em que o Universo não é infinito (sério, alguns colocam a mão afirmando isso), dizendo que tem até um formato geométrico. É idêntico com o passado, expeculando. Claro que é uma hipótese, mas enquanto não poder ver com os meus próprios olhos no Google Earth (se é que me entende), não se pode afirmar tal hipótese como sendo um fato. Pode ser que daqui muitos séculos (eu creio que menos) ou milênios, a teoria seja refutada e descartada e apenas será história do passado.

Mas e quanto a Evolução?
Bem, no passado elaboraram um modelo de geocentrismo, onde as orbitas dos planetas se enquadravam muito bem, até com precisão, para aquilos que eles podiam observar, suas condições. O mesmo ocorre hoje, ALGUMAS coisas se enquadram muito bem na idéia da Evolução (porém muitas coisas primordiais são incompatíveis), até com uma certa precisão, para aquilo que hoje alguns homens que observam bastante conseguem ver. Mas dizem ser verdade, para algumas um dogma tão quão foi o dogma da Igreja Romana.
É a mesma coisa. O mesmo engano usado no passado é o usado hoje. E não foi sempre assim? O que há de novo? O novo apenas passou a ser uma forma mais tecnológica do passado. Os mesmos pagãos afirmando suas expeculações.

Aliás, por que será que os pagãos gostam tanto de afirmar suas hipóteses? Talvez porque usam do principio “até que me prove o contrário”. Bem, essa de `até me' pode ser tarde demais para algumas pessoas. O mesmo será na Vinda de Jesus, muitos endureceram seus corações para ouvir e aceitar a verdade, mas na hora H, um pouco antes, iram querer voltar atrás, porém, terão que ouvir as palavras “é demasiado tarde”.


Mensagem final:

Se você é um crente dessas teorias humanas "atuais"(hum!), saiba que talvez você não viva centenas de anos para descobrir que era uma mentira. Por que não volteis seus olhos para as infalíveis Escrituras que perdura desde a antiguidade até a eternidade? Não deixe para amanhã sua escolha, sua decisão. Você não tem poder sobre o futuro, apenas no presente é que você pode tomar uma decisão. Por isso, entregue hoje mesmo a sua vida nas mãos de Jesus, pois amanhã pode ser tarde demais.

2 comentários:

Anônimo disse...

Rapaz, primeiro ao escrever um blog você deveria dominar a lingua portuguesa, coisa que obviamente você não domina, o número de erros em seus posts é estarrecedor para alguem que se intitula "muito inteligente" no orkut.

O conteudo dos seus posts também beira ao ridículo, você fala sem nenhum tipo de conhecimento sobre vários assuntos, talvez até convença seu compatriotas desinformados da igreja e outros apedeutas cientificos.

Fala sobre teoria M sem saber que esta não existe sem relatividade geral e é complementar a ela e não substitutiva.

Comete erros primários de interpretação cientifica e aplicação da lógica, desconhece totalmente K. Popper.

Abstenha-se de passar vergonha frente a um físico qualquer por favor. Se for falar sobre física, se atualize e se informe primeiro, não com um professor qualquer da USP ou lendo artigos na wikipedia.

Evandro disse...

Obrigado por sua opinião.

Quanto aos usos de português, realmente muitos saem do padrão da norma culta, pois normalmente não reviso meus textos, mas estou melhorando isto. Principalmente após uma conversa com um amigo que faz Letras na UEM (Unv. Estad. de Maringá), o qual também me disse algo bem interessante:
"Não existem erros de português, mas sim, usos."

E como disse Guimarães Rosa, "o portugês está coberto de poeira". (algo assim)

......

Bem, meu objetivo não é convencer ninguém, apenas coloquei meus pensamentos.

Quanto a teoria M, se não atentou bem para o que eu disse no post que falei sobre tal. Eu declarei que não afirmava nada, que mal conhecia o assunto, apenas tinha folheado algumas páginas e artigos sobre o assunto. Muito menos aleguei que tal substitui a teo. da relatividade.

Vergonha? Eu não passo vergonha diante de ninguém além de Deus.

Suas palavras estão carregadas de subjetivismo critico perjurativo, e isto não é nada bom. Deveria abster-se disso, ou terá sérios problemas futuramente. Este tipo de linguagem desvia-se da razão.


Que Deus te abençoe,
tenha uma ótima semana.