10 setembro 2006

Vomitando os Pensamentos

Talvez alguns tenham notado algo estranho nessa semana, não postei nada. E não foi por falta de tempo, nem de conteúdo, aliás, há muitas coisas incríveis que gostaria de levar ao conhecimento de todos.

Porém, essa foi mais uma daquelas semanas intrigantes mentalmente. Satanás com seus anjos tem me tentado com artimanhas tais e astúcias tão cruéis, de tal forma que eu acabei "não desviando" e me confrontei com algumas, e como resultado fiquei perplexo, intrigado mentalmente. Uma emoção de decepção com as pessoas e comigo mesmo. Decepção também das atitudes de muitas pessoas, e aquela sensação de solidão, mas não uma solidão por não ter com quem falar, amigos e a presença celestial. Mas uma solidão de pessoas de puro caráter, pessoas pelas quais ansiaria passar muito tempo com elas, pessoas nas quais não preciso ter o cuidado de ficar analisando todas as palavras que saem da boca delas, porque elas tem um coração puro, santificado, com os pensamentos mais nobres.

E pelo contrário, sinto-me como uma rã jogada num meio da sopa sendo fervida. Uma sopa que mistura vários ingredientes, mas que sempre está presente o EGOISMO. E os demais ingredientes são tudo derivados do egoísmo. O medo, a loucura, o materialismo, a ambição por poder, o querer dinheiro, a vaidade (o famoso II Tim. 3)...

Também fiquei muito intrigado, num conflito muito forte, pois pensamentos, tentações quanto a "ambição", o "materialismo", o "capitalismo", "ganhar dinheiro", tem tentado entrar em mim; por osmose. E a luta é terrível! para não deixar que tal venha a infectar meu sangue. E isso me leva a pensamentos que me faz auto-analisar como um miserável, uma criatura que necessita de toda misericórdia de Deus.

Algumas pessoas a quem admirava pois aparentava e professava não amar o dinheiro, não querer o dinheiro. E sim lutar por causas nobres e justas. Quando estava lhe apresentando o "mundo da Internet", mostrei-lhe que existiam DIVERSOS sites e conteúdos "gratuitos e livres", e a reação da pessoa não foi nada boa, ela ficou inconformada e disse: "Como pode alguém ter o trabalho de fazer um site, gastar, e deixar informações para todo o mundo, sem nenhum fim comercial?" O que mostrou claramente, que tal pessoa tinha sim fins lucrativos, era corrompido pelo capitalismo que é doentio e desumano (ou talvez, totalmente humano - esse é o problema). E isto foi como sempre é, muito ruim. Você pensa ter encontrado ouro, mas logo o vento tira a casca, e mostra que era barro cozido!

Nessa perplexidade fiz coisas terríveis, no estado de ociosidade. Não naquele ocio onde você está pensando e refletindo, alcançando os mais elevados ideais, pensamentos, projetos, reformas, raciocinio e conclusões. Mas na ociosidade da famosa frase:
"Mente vazia é oficina do diabo."
e
"Praticar iniqüidades é sua diversão."

Hum! isto foi péssimo. Péssimo mesmo! Mas graças a bondade de Deus, fui retirado desse estado tão doentio.

Porém, ainda estou muito, muito, muito, muito, muito pensativo quanto principalmente a questão do "trabalho", "faculdade", "curso", "o gasto do meu tempo", "projetos futuros"! Ainda está um mar de ondas, não encontrei terra firme. Talvez, no fim, a resposta seja "caminhar sobre as águas". Mas não sei.
Particularmente, estou com um desdém para o ambiente da USP. Depois de um estudos que fiz da Palavra de Deus e entendi mais profundamente a questão do Grande Conflito, sobre "ambientes", "pessoas", "os anjos do mal", aquele verso de salmos que diz:
"BEM-AVENTURADO o varão que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores." Salmos 1:1

Se não percebeu, o verso também diz intuitivamente: "Aquele que se assenta na roda dos escarnecedores NÃO É BEM-AVENTURADO". E BEM-AVENTURADO pode ser traduzido como "feliz".
Então, continuando o pensando, após tudo isso, eu fiquei preocupado com a situação. Por estar numa sala cheia de ímpios, com professores tais. Fora na Van, onde passo em média de 16h por semana! Ou seja, das horas que eu fico acordado num dia comum, praticamente 25% eu passo dentro da Van com aquelas pessoas. E se for somar mais as horas na faculdade. Isso é terrível!!!

Fora que a faculdade está muito a desejar. Pois os professores não facilitam a aprendizagem. É mais algo do tipo: "Você se vire para aprender, decorar, fazer as montanhas de listas de exercícios e trabalhos e estudar para as provas. Caso contrário, você via ficar em DP e não vai terminar a faculdade nunca!"

E ai entra um outro grave problema. Com o meu atual trabalho. Os únicos momentos disponíveis para eu estudar seria, sábado a noite e no domingo! Mas no sábado a noite, eu opto por refletir sobre o sábado, fixá-lo em minha mente, melhor, deixar fazer com que o alimento que adquire naquele dia seja digerido. E no domingo, é o dia onde eu tenho que fazer alguma coisa. Ou seja, se eu conseguir estudar 4h no domingo está de bom tamanho. Porém, ai todo mundo fica em casa, e o barulho de TV, "conversas de italianos", o som dos vizinhos etc. E simplesmente a concentração é ZERO! Ou seja: não tenho tempo para estudar como deveria para a faculdade! E já estou com uma montanha de coisas acumuladas, e agora chegou a fase das primeiros provas e hum!!! vai doer.

E o mais grave dos problemas. Este modo frenético de se viver (o qual minha mãe acha que é correto), ESTÁ, e não tem como contornar, destruindo minha vida espiritual. Está me deixando em coma! Eu chego em casa cansado e ao tentar estudar a Bíblia logo caio no sono, ou leio 10 páginas e quando percebo não sei o que estou lendo - concentração péssima. E de manhã, acordo naquela correria como que a noite não foi suficiente de sono (o que de fato não foi), um café da manhã apressado, e zap! zup! estou no trabalho, e zap! zup! é hora de comer. E zap! zup! é hora de ir embora para ir num zap! zup! para a faculdade. E quando se vê já é sexta no pôr-do-sol, e meu despreparado fisicamente, mentalmente e espiritualmente para fazer do sábado o que se deve fazer. Porque eu não acumulei vitórias na semana, mas regresso! O sábado deixa de ser um dia auge para se deliciar das bênçãos adquiridas na semana. Mas apenas, apenas, um dia de descanso e isto também é trágico!

Para ter idéia, o meu estado ficou tão grave, que eu perdi a clareza, o discernimento. Estou em dúvida se foi Satanás que me colocou aqui na USP, ou se foi Deus, e se foi Deus, não consigo ver os objetivos. E estou pensando até em transferência para a UNASP. - Enfim, estou perdido espiritualmente nessa questão. E isso traz outro problema. Minha atitude normal diante disso seria "não fazer nada" até que tenha clareza do que se deve ser feito. Mas eu não posso parar de estudar, eu perderia o semestre, e ai fico com o risco de não terminar a faculdade no prazo limite de 7 anos! E esse estado de "eu não sei o que estou fazendo aqui" me desmotiva nas aulas, eu fico me perguntando isso na aula ao invés de prestar atenção. Porque eu só me proponho em fazer algo com tudo mesmo, é quando eu sei o que estou fazendo, tenho motivos, entendo bem a situação, e o que Deus quer de mim naquilo. E no fim, os estudos também acabam indo por água abaixo.

E o pior! Entra a questão do TEMPO. Para quem leu o livro "Fuga para Deus" da CPB, e viu aquele capitulo onde tem o discurso de Satanás com seus anjos, do seu plano, de fazer as pessoas "gastar o tempo". Simplesmente, entende o que se passa agora comigo. Eu simplesmente, sou uma vitima, estou caindo nessa armadilha! E preciso sair dela!- (leia esse discurso)

Pois aliás, do que adianta ter um diploma universitário, mas não receber a chuva temporã, e assim, depois não receber a chuva serôdia e ser "vomitado". E perder a vide eterna? - É meu, a questão é grave. Pois o que está em jogo é simplesmente "minha vida", "minha salvação", e eu, estou perdido!

Mas felizmente contei com um presente, que realmente estava precisando, uma visita no sábado. Do Elcio. Estava no culto, quando ele chegou. Simples, ele é aquela companhia que faz falta. É uma daquelas pessoas que gostaria que morasse em minha casa, ou como um vizinho; ou que trabalhasse junto (o que é bem possível). E depois senti um alivio imenso, quando começamos a falar sobre essas questões da faculdade. (ele estuda na UEM - Universidade Estadual de Maringá) e tem percebeu vários problemas, que o deixou decepcionado com a faculdade. Porém, nessa conversa nem mesmo durou 1 hora. E tivemos que ir embora, e não mais nos vimos, ele voltou para Maringá. E também, mal cumprimentei o Elton. - Mas foi muito bom essa "visita". Pois quando você começa a perder as esperanças de algo ou esquecer, então tal lhe visita e reforça novamente o que se vinha abalado.

Um outro ponto que me deixa intrigado. Há aquele verso, não me recordo exatamente em que lugar do novo testamento que está que diz, algo nesse sentido: "Se o teu próximo pecou e você o avisou que aquilo era errado, então você está com as vestes limpes e ele condenado. Mas se você não avisou, tem parte na culpa dele, e também está condenado." Bem, este verso me incomoda no sentido por eu estar em falta com ele. E mais, e o que mais me incomoda é que eu não o compreendi direito, pois de primeiro relance, é provável que eu passaria cada segundo do meu dia apenas repreendendo as pessoas. Porque é uma burrice e tolice uma trás da outra. - Bem, ainda estou para analisar e estudar melhor este assunto.
Uma coisa certa, eu estou morrendo de vontade de sair da Grande São Paulo. Ir para uma cidade de interior, tipo São José dos Campos. Ou um lugar mais tranqüilo ainda. Se possível, minha casa, feita por mim mesmo, no meio de um cenário parasidíaco, com a cidade mais próxima há uns 10 km, e até lá, só mato. Lembro-me de quando fui na fazenda do Robertinho lá no meio das montanhas em São José dos Campos, e percebi ali que era algo assim que eu busco, é algo assim que quero e necessito. E cada vez estou mais decidido, a alcançar esse sonho, morar no meio da natureza, com uma ótima casa, tranqüilo, sem os problemas degenerativos das grandes cidades. Trabalhando de forma saudável na cidade perto, onde eu tenha tempo para todas as coisas no dia, para poder comer bem etc. E eu quase entrei em um estado semelhante a síndrome de abstinência, porém, por falta de algo que nunca tive, quando assisti dois filmes com meu irmão aqui em casa. Não sei se esses são os exatos nomes do filme, mas é algo assim: "Um Lugar para Recomeçar", que conta uma história de uma mãe e uma filha que são agredidas pelo namorado da mãe, e vão morar na fazenda do avô, numa cidade pacata no meio das montanhas. E ai também tem o Morgan Friman, que tem um papel mais "a la Jesus", que foi atacado por um urso. Um ótimo filme que recomendo a todos que vejam. E o outro filme, é meio comédia "Doze são demais", que mostra uma família gigante que vive feliz numa fazenda numa cidade pequena, ai o pai recebe uma proposta para ser técnico de um grande time, e se mudam para a cidade grande e a vida se torna um caos, e das crianças um tédio. Também é um bom filme, do tipo que todos os pais deveriam ver.
Estou num momento de paciência, longanimidade. Esperar algumas providências e respostas. Aguardar algumas coisas se concluírem. Para decidir tomar certos caminhos. E assim trabalhar para alcançar tais objetivos. Porém entra a questão do tempo e o Arquienganador empregando todas as suas forças para que eu tropece, para que eu morra perdido, e para perder o tempo.
É como se eu estivesse a beira de um precipício, cego, esperando meus olhos abrirem para enxergar a ponte e poder caminhar. Mas enquanto espero, fortes vendáveis sopram em mim tentando me derrubar. E o pior, muitas vezes tenho feito corpo mole e assim quase cai.
É certo, que após essa publicação, virão alguns amigos com aquele papo consolador. Mas o que eu preciso no momento não são palavras, nem atos. Mas sim ver uma pessoa que tenha uma vida transformada, um exemplo e testemunho real. Isto eu preciso ver, porque sem isso a vida vira um tipo de "trincheiras" onde você luta por pessoas que vão desprezar o seu sangue derramado. E quanto as respostas, não são respostas de fontes humanas que aguardo, mas da Sabedoria.

2 comentários:

Ana Lígia disse...

1- USP é uma marca... Ñ tirando seu mérito, mas é realmente uma etiqueta que abre portas.
2- Homem x Capitalismo!? ou Evandro x Capitalismo? Como viver à margem do capitalismo? As pessoas pensam em lucro p/ sobreviver. Ñ to falando dos insasiáveis que trabalham só p/ acumular mais e mais; mas, infelizmente, meu caro, vivemos uma economia que ñ permite que qualquer classe social realize mtas "generosidades". A crítica é p/ quem pode e ñ faz, ñ p/ qq um que ganha um salário mínimo ou menos. Há de ter cuidado c/ o "extremismo" tb.

Evandro disse...

o lucro nao serve para sobreviver.
a sobrevivencia entra nos custos.

é o que vc disse esta muito vaga, muito crocante... refina mais, aprofunde.

dizer qye vivemos num capitalista isto nao quer dizer nada de tao especial, é como dizer que as metropoles estao com o ar poluido.

é essa coisa que nem todos tem as mesmas oportnidades. isto nao é caracteristica do capitalismo. a maior parte da História da Terra foi marcada porisso.
Talvez o capitalismo tenha sida a de maior mobilidade de estatus social.

Defina-me "extremismo". Pois o limite da visão subjetiva das pessoas, tem sido classificado, pela maioria, como "extremista", e também como se isso fosse ruim. Argumente, prove etc.

Quanto a USP, ela não é apenas uma etiqueta, isso eu afirmo. Os professores aqui são diferentes, todos que conheço, no minimo, tem um doutorado. E eles ensinam profundamente a materia, "provam" as coisas, ensinam coisas de "doutorado", táticas, manhas etc. Abrangem mais as coisas. Tem um sistema excelente multidiciplinar e de mobilidade do curriculo escolar, a formação, a pos etc.
A unica coisa que reclamo é o ambiente, as pessoas. Não que eu esteja numa FEBEN, etc. Há muitas pessoas boas, sinceras etc. Mas no geral, o ambiente é marcado por pessoas que são um impecilio no angulo do Grande Conflito. Para entender o que reclamo da USP, basta ver Sal. 1:1. Este é o principal problema, e o segundo, é que parece que a USP nega a existência de Deus, isolando-O de tudo. A única coisa que ouvi falar de Deus na USP até agora, foi na semana do bicho, onde, em um dos materiais dados falando sobre a USP e etc, no final tinha lá uma frase dizendo, algo mais ou menos no sentido de levar o desenvolvimento do curso de forma harmonica com Deus.